[ editar artigo]

Diante do Sofrimento

Diante do Sofrimento

Diante do Sofrimento

Sento-me à beira da culpa e divido-me em mil arrependimentos.
Na cabeça a força do sofrimento calcifica o fracasso,
Afoga-me em desamparos, quase decepa todo animo.

Na força do sofrimento fecho-me em teias
E nos fios das minhas sinas tortas estrangulo
Toda a dignidade e caminhos retos que existiam.

Mas é na força do sofrimento, por mais insuportável que seja,
Que fecundo outros mundos, verbalizo em silêncios,
Desatino nós que repartiram o ego em absolutos nadas.

Na intensidade do sofrimento há uma via pedagógica.
Pois reafirmo o rufar de asas que pensei estarem decepadas...
E sobrevivo num quase cadáver que parecia padecer de vez diante de tantas dores.

Diante do sofrimento, à beira do abismo, no fim do seco poço,
A intensidade da dor, fragmentária e inteira, oferece lições
Ao crânio que dobram a realidade em múltiplas possibilidades.

O sofrimento é como um vírus que ataca as carnes...
Os anticorpos, o fortalecimento só se adquirem nas contradições da dor.
Diante do sofrimento meus pedaços se juntam em um novo e vigoroso corpo.

Autor: Dennis de Oliveira Santos
 

INfluxo
Dennis De Oliveira Santos
Dennis De Oliveira Santos Seguir

Sociólogo, professor e escritor. Um amante do mundo das letras que se expressa através de poesias e crônicas.

Ler conteúdo completo
Indicados para você