[ editar artigo]

"Onde eu deixei a minha cabeça?"

Muitas vezes, pensamos e deixamos nos enganar por boas ideias. Isso mesmo, somos enganados pelo nossos hormônios, que faz o simples  pensar sobre algo, uma intensa liberação de adrenalina e serotonina.

Ideias são a motivação de qualquer mudança,  mas são as ações que realmente transformam. Em outras palavras, uma consciência coletiva é excelente, porém não garante [embora pareça] mudanças na prática.

Basta pensar por si mesmo: quantas promessas você esqueceu de cumprir? Quantos sonhos não realizou? Quantas desculpas inventou e ainda está inventando para não realizar alguma coisa? 

Quando eu suborno minhas necessidades, quando me entrego a uma preguiça, quando eu fico apenas olhando algo ruim acontecer, eu me perco no tempo.

Todos podemos ser árvores, mas nem todas as árvores podem gerar frutos, ou servir de sombra fresca.

Por isso, simples ações valem mais que que mil palavras. 

Não saber onde deixei a cabeça é abdicar da minha responsabilidade com o planeta, com o próximo, comigo mesma.

É deixar a vida, sem estar morta.

Participe da política pública da sua cidade. Acompanhe e não deixe de agir para um mundo melhor! 


Pintura acrílica 45x50cm. Artista Renata Campagner

 

 

 

Narrativas

INfluxo
Pulmão da Cuesta
Pulmão da Cuesta Seguir

Amante da poesia marginal, pintora de mulheres, formada em Literatura, professora, mãe e apaixonada pela vida. 40 anos de idade, Botucatuense.

Ler conteúdo completo
Indicados para você