[ editar artigo]

O reino imaginário

O reino imaginário

Dizem que o menino foi feito de imagens e de sonhos,

Vestia criações e calçava devaneios.

Olha, vou te dizer que poucas foram as vezes que viram ele pisando no chão,

Mas quando pisava, tropeçava.

Começaram até a falar para ele não correr, que senão cairia.

Houve até um dia que eu o escutei repetindo isso, até que seus olhos chegaram a encerrar como verdade.

Ele morava em cima dos galhos, fazia cama de palha e a lua de travesseiro.

Diziam que sua cabeça era de vento, mas eu via ele comer, e muito.

Se alimentava de histórias e criações engenhosas.

Sabe aqueles poemas e mandingas de deixar livre a nossa imaginação? Uivar para a lua, correr com os lobos e pensar fora da caixa?

Ele nasceu assim, despido.

Pois agora, por vezes veste um sapato que aperta seu pé.

Quem não entra no vivo do vazio, não enxerga que suas criações servem para decantar o peso do mundo.

Penso, em minha humilde existência, que deveriam construir um chão onde ele pudesse caminhar e cobrir sua cama de húmus fresco.

Indiferente a isso, insistem em o arrancar de forma abrupta para fora de si mesmo.

Mas a reza é brava e seu santo é forte (o menino conversa com ele todos os dias).

Ainda muito, o vejo adentrar pela noite no seu mundo de encantarias.

Espero que um dia, ao invés de desgarrar os meninos no vivo do vazio e os pregar em um deserto monocromático, a gente aprenda a enxergar seus ângulos, semear em seus solos e saborear seus frutos.

Narrativas

INfluxo
Bianca De Fiori Milani
Bianca De Fiori Milani Seguir

Acredito na indivisibilidade do ser humano com o meio ambiente. Nessa perspectiva atuo dentro da área da educação, estudando criança e natureza e o brincar livre. Outra fonte de aprendizado e atuação é a Agroecologia.

Ler conteúdo completo
Indicados para você