[ editar artigo]

Maré de vazante

Maré de vazante

E quando vaza a maré, o mangue me chama e eu me levanto antes do nascer sol. Os mariscos acordam comigo. Eu peço licença, eu peço a benção e vou mariscar. As vezes encontro Francisca, Tereza, Conceição, Nilza, Edna, Cacemira, Lelé, até Miúda. Eu encontro é gente, um monte assim ó, de marisqueira,  cada uma com a sua isca, cada uma, com o seu esconderijo.

Narrativas

INfluxo
Natalyne pereira dos Santos
Natalyne pereira dos Santos Seguir

Sou atriz, arte-educadora, compositora, agente cultural; Licenciada em Teatro pela Universidade Federal da Bahia-UFBA, mestranda no Programa de Pós-graduação em Artes Cênicas - PPGAC/UFBA. Idealizadora do projeto Mariar Um Mar de Poesias.

Ler conteúdo completo
Indicados para você