[ editar artigo]

Felicidade Virtual

Felicidade Virtual

Tão uniformizados estão os desejos
E virtualizados a capacidade de concretiza-los. 
São diversas as informações, gigas de memórias, 
Mas confusas as possibilidades de reais vivencias.
Emulam a vida em muitos aplicativos, processadores, 
Mas poucos a experimentam sem incluir o conformismo.
Um mundo virtual com peças bem planejadas:
Youtubers bostejando receitas de sucesso, 
Blogueiras do fim do mundo fossilizando futilidades
Que massificam as experiências em repetitivas selfies narcisistas. 
No tabuleiro das relações humanas fabricam potentes equipamentos 
Que alargam o fosso de palavras entre os homens.
A tecnocracia virtualiza como estranho jogo todas as emoções.
Como velhos smartphones os amantes se tornam produtos descartáveis,
O amor líquido precisa ser degustado e rápido em novos lábios.
A tinderização de bustos e coxas incute nos falos o intenso passeio
Em diversas geografias femininas sem nenhuma culpa ou remorso.
E as e-tribos não param de brotar nas esquinas de redes sociais:
Incels, ancaps, terraplanistas, identitários, coaches, sugar babies, 
Que enorme preguiça eu tenho de toda essa convulsão social. 
Carrego comigo a sensação de ser um homem de outros tempos:
Um bárbaro da Antiguidade, um ermitão do século XIX
Que ainda não pariu em seu crânio as cantigas de felicidade
Dessa gente tão satisfeita e que arrota good vibes em posts e comentários.

Narrativas

INfluxo
Dennis De Oliveira Santos
Dennis De Oliveira Santos Seguir

Sociólogo, professor e escritor. Um amante do mundo das letras que se expressa através de poesias e crônicas.

Ler conteúdo completo
Indicados para você