[ editar artigo]

EU JORNAL

EU JORNAL

Comi o jornal no café da manhã,

Mastiguei sua notícia, sua inflamação,

Fiz a digestão diária,

Sem dieta de letras agudas, frias e miúdas

Que aos poucos a pele absorveu

E quem me olhar lerá nos olhos o dilema atual

Eis as notícias de jornal:

Extra, extra... extraviado,

Homem vende a preço de banana sua alma ao diabo,

Despenca  a penca de banana no mercado,

Mas tudo está cada dia mais caro,

Culpa é a inflação,

É chuchu,

Tomate,

Arroz, café e feijão,

Até o livro de receitas de Gullar.

Alguém atento me leu,

Disse ter razão em consumir sem moderação

O noticiário de seu Ferreira,

Me   saciar com sua grafema,

Ela todo dia nos faz lembrar rotinamente

Que o pão continua caríssimo

E o preço da vida

Ah! Não cabe em nosso poema.

 

Narrativas

Ler conteúdo completo
Indicados para você