[ editar artigo]

ESPELHO

ESPELHO

Quem sou eu?

Sou meus medos e minhas fantasias,

sou minhas dores e minhas alegrias.

Sou meu barulho e meu silencio,

sou aconchego e meus tormentos.

 

Sonho, choro, grito baixinho...

 

Sou minhas forças e minhas fraquezas,

sou a plebe também, a realeza,

sou a arrogância e a singeleza,

sou o obscuro e também a clareza.

 

Desvivo, choro, morro aos poucos...

 

Sou homem e sou mulher,

sou o meu bem e o meu mal me quer!

Sou o azar, também sou a sorte,

carrego a vida e aguardo a morte,

 

Durmo, acordo, asfixio-me...

 

Sou bruxa e ao mesmo tempo sou fada,

sou somatório de tudo, também substrato do nada,

sou meu algoz e meu próprio juiz,

sou minha terra e minha raiz.

 

Penso, divago, emudeço aos poucos...

 

 

Sou gente numa mistura de fera,

sou minha paz, também sou minha guerra.

Sou furacão e sou calmaria,

Sou minha felicidade, também minha agonia.

 

Adormeço, sonho e desfaço-me

 

Poesia selecionada para a Antologia Novos Poetas

 

 

 

 

Narrativas

INfluxo
Vana Miletto
Vana Miletto Seguir

Poeta e escritora. Membro da academia Internacional de Literatura Brasileira, cadeira 36; Membro da Academia Itapetiningana de Letras, Academia Luminescência Brasileira e Academia Literária do Clube da Poesia Nordestina. Autora de diversas obras.

Ler conteúdo completo
Indicados para você