[ editar artigo]

SEM PRETENSÃO...

SEM PRETENSÃO...

Que a nudez sirva de agasalho para a tua alma

E nada impeça teu corpo de alçar o vôo dos pássaros.

 

Que a beleza das flores seja o teu tapete
Onde com sutil leveza deslizam os teus passos.

E o vento a soprar os teus cabelos
Esvoaçantes e perfumados pelo aroma das rosas
Que suavemente se espalha com o vento
E tu, faceira, a desfilar mimosa...

Encontrando o amor nas ínfimas carícias
Que escorrem pelos dedos depois de um afago suave, 
Mas quente como o trepidar da chama
Que arrepia sem causar nenhum estrago.

E o teu corpo leve e solto
Quase a levitar como um pássaro sem rumo,
Desprovido de pensamentos vãos,
E de qualquer e inefável ilusão.

Continuas linda e esbanjando felicidade
Pelo toque das carícias de uma grande paixão
Sempre flutuando livre e solta
Sem revelar aparentemente, nenhuma pretensão.

                        Guiomar Moreira

24/11/2020

TAGS

poesia

Ler conteúdo completo
Indicados para você