[ editar artigo]

O Reencontro – A dor e a persistência deu lugar ao amor

O Reencontro – A dor e a persistência deu lugar ao amor

Uma criança ao nascer é afastada da sua mãe biológica, devido a uma enxurrada de problemas familiar existente em suas vidas, ambas seguem caminhos diferentes, sem explicações.

Desaparecendo na penumbra da noite, restando para elas apenas, um fio de esperança, de angústia, de inquietações, de saudades e de muitas perguntas sem respostas.

Tempos se passaram, então esta criança, a Carla, agora já com 7 anos de idade, que foi criada por parentes, vivia em revezamento de lares e moradias nas casas de parentes.

A Carla então encontra uma amiga, que se chama Leya, essa tem 9 anos de idade.

A Carla e a Leya têm muito em comum, pois a Leya também é fruto de um lar com muitos conflitos e problemas familiares, porque ela também já passou por outros lares temporários e já teve várias moradias, assim como a Carla.

Ambas confidenciam seus temores, aflições e tristezas e se tornam amigas inseparáveis.

Na flor da sua ingenuidade e infância, a Leya após sentir, compactuar e ver o desespero e as tristezas da sua amiga Carla, lhe faz uma promessa, que um dia vai lhe ajudar a descobrir o paradeiro da sua mãe. Mesmo não fazendo, tão pouco tendo a ideia de como isso iria lhe acontecer.

Tempos se passaram, e ambas vieram a morar nas mesmas casas em alguns momentos e, daí tiveram partes das suas adolescências juntas.

Porém, depois seguiram por caminhos diferentes, e por mais de 20 anos perderam o contato, uma da outra.

Mas no começo deste ano 2020, as amigas se reencontraram e óbvio que o tempo e as recordações do passado vieram todas à tona.

Então, a amiga Leya escutou, ouviu e lamentou a tristeza da sua amiga Carla, que mesmo após todos estes anos, ela ainda não havia encontrado a sua mãe, e também agora sofria e se lamentava, porque não sabia se a sua mãe ainda estava viva, ou era morta.

A Leya, após este reencontro, conversou bastante com a Carla e, a amiga lhe fez o mesmo pedido de antes, de infância, disse Carla:

-Oh, amiga Leya, será que um dia eu vou ter alguma notícia e/ou conhecer a minha mãe...

- Será que ela está morta ou viva, eu queria tanto saber alguma notícia dela...

- Amiga Leya, agora bem que você poderia me ajudar a encontrar a minha mãe, né?

Estas palavras caíram como espadas, cravaram e partiram o coração da amiga Leya, que as fez relembrar dos tempos de crianças, pois a Leya percebeu que tantos anos se passaram e, ela ainda não havia encontrado a mãe da sua amiga Carla, conforme havia prometido no passado e na sua infância.

Então, nesse momento a Leya disse a amiga Carla:

- Amiga, agora chega, vou me empenhar e com todos os meus esforços, vou tentar encontrar a sua mãe.

- Podes crer minha amiga Carla, custe o que custar...Só irei sossegar quando encontrar a sua mãe, tenha fé em Deus amiga, pois eu acredito que a sua mãe ainda está viva.

Exatamente no mês de junho de 2020, com o tempo do Isolamento e o distanciamento Social, “Fique em casa”, devido a Quarentena por causa da Pandemia do Covid-19.

Em conversa com a minha amiga Carla, ela me deu 4 fotos da família, nas fotos estavam a mãe dela e irmãos, estas fotos ela havia recebido de uma tia, que morava muito distante, e de muitos anos atrás.

Então eu tentei entrar em contato com diversos órgãos da cidade que a amiga Carla foi informada pela sua tia, que supostamente a sua mãe havia morado nesta cidade, mas não houve muito êxito, porque as informações eram muito vagas.

Foi ai que tive uma ideia, entrar no Facebook e fazer um apelo na página do face, desta cidade.

Na página do Face, postei as fotos recebidas da minha amiga Carla, contei um pouco da história dela, fiz um apelo e pedi ajuda aos internautas e usuários do Face, para que me ajudassem nesta busca ativa...

Em menos de 15 dias, eu recebi o apoio de diversos internautas, sensibilizados com a nossa  história, e que também estavam compartilhando a história adiante.

Daí, foi numa nestas interações, que apareceram muitas pessoas dizendo que achava que conhecia a família e, a mãe da minha amiga Carla.

Porém o que me chamou mais atenção, e em especial num destes relatos, foi que apareceu alguém dizendo que era um membro da família de minha amiga Carla...

Não tenho palavras para descrever o momento e tamanha foi a emoção, que senti naquele momento, mas pensei... Será que isso mesmo é verdade? Não dever ser algum engano, ou alguém fazendo um trote de mal gosto.

Mas... Era sim! A mais pura verdade. Chorei... Chorei... e chorei de muita emoção.

Logo em seguida trocamos telefones e coloque a minha amiga em contato direto pelo WhatsApp com a sua Mãe e irmão, fiz a apresentação da sua família e me despedi.

Atualmente, apesar da minha amiga e a sua família estarem se falando todos os dias por telefone, o encontro presencial delas, ainda não foi possível, porque a mãe da minha amiga Carla, tem um filho que é deficiente, e que necessita dos seus cuidados diários e constantes em casa.

E também apesar de elas morarem em estados diferentes, mas ambas residem no Brasil, mas elas não têm condições financeiras para custearem as passagens e as estadias, para terem este encontro pessoalmente.

Hoje estou muito feliz... Mas, ainda sonho muito e acredito que este dia, dos encontros presenciais  entre a minha amiga Carla e a sua mãe, ainda vai chegar o seu dia... E elas irão se abraçarem, se amarem muito e, viverem muito mais felizes.

Bem esta é a minha história, e  atualmente o meu maior sonho, que em partes, já encontra-se  realizado.

Ler conteúdo completo
Indicados para você