[ editar artigo]

Conselhos Para Tempos de Pandemia

Conselhos Para Tempos de Pandemia

A máquina viral acaba de mastigar mais um

E aos poucos seu epidêmico estômago range

Ao desejar a vida de mais um humilde ser humano.

Dos insetos retidos no poder apenas o troféu da ignorância.

Sentem-se correntes de palavras e perdigotos que são

Um arsenal de vírus que ardem pulmões e mentes.

Deseja mudar esse terreno infértil, este pútrido mundo?

Contra a terminal doença por hora não há muito que fazer!

 

Mas plante flores de sentimentos sobre o lixo.

Ame de forma sem medida, seja como for, sem arrependimentos.

Cuide dos próximos. É através do amor e da família

Que passamos pelos escárnios mundo afora com serenidade.

Leia reflexivos poemas de Drummond, ouça a sonora insatisfação de Belchior.

 

Coletivamente não seja um indiferente, um morto na história.

Junte-se aos oprimidos, humildes e desabrigados. Com eles

Cerre seus punhos e golpeie os governos insubmissos ao povo.

Cerre o punho para não ver a mão vazia diante do

Racismo, elitismo, fascismo e preconceitos de classe.

A vida é tomar partido! Por isso grite, proteste,

Remanche e desmanche os planos capitalistas deste mundo.

Uma hora se acerta duros golpes contra a ditadura do capital.

 

Tudo isso são formas de esboçar um novo mundo,

Mesmo que no agora o planeta esteja despencando.

Tudo está numa constante dialética, transformação...

Ame os outros e tende mudar a putrefação das coisas

Rumo à robusta arquitetura de uma nova vida.

INfluxo
Dennis De Oliveira Santos
Dennis De Oliveira Santos Seguir

Sociólogo, professor e escritor. Um amante do mundo das letras que se expressa através de poesias e crônicas.

Ler conteúdo completo
Indicados para você