[ editar artigo]

Via, veritas et mortem  (Fabrício Manca)

Via, veritas et mortem 
(Fabrício Manca)

Entre os dentes achatados te mastigo
Com frieza calculada te consumo 
Sou do carma que te suja, o castigo
E por hora a restos tristes te resumo

Das desgraças, sou eu quem lhe traça o rumo
E hei de desgraçar-te ainda no jazigo 
Pois já desgraçava-te antes feito um grumo 
Que coagulara oculto em seu umbigo 

Sou contigo o seu xifópago maldito 
Que te ostenta, num triunfo derradeiro 
Da sua miséria humana precipito

Eleva-te acima das chamas do fracasso 
Confere antes, o tributo do barqueiro 
E te jogas das alturas dos meus braços 


 

Narrativas

INfluxo
Fabrício Manca de Souza
Fabrício Manca de Souza Seguir

Aspirante a músico, poeta e compositor, membro da ALLA (Academia Leopoldinense de Letras e Artes) em Leopoldina - MG, procuro através do meu trabalho compartilhar inspirações e emoções.

Ler conteúdo completo
Indicados para você