[ editar artigo]

"Teus olhos"

Teus olhos me enviam ao mar,

Certamente não devo confiar,

É que não aprendi a nadar

E posso então me afogar.

 

Teus olhos me levantam ao céu,

Transformando-me de vítima em réu.

Mas assumo qualquer papel,

Desde que tu sejas o troféu.

 

Teus olhos me levam ao fogo,

Por chamas altas eu rogo,

Mas peço não queimem logo,

Consciência alerta que a vida não é um jogo.

 

Teus olhos me lançam ao vento,

Faz surgir bom sentimento,

É hora de nosso entretenimento,

Vamos desfrutar ao máximo o momento.

 

Teus olhos me deixam na terra,

Sua escolha é segura e não erra,

Nos meus olhos você si enterra,

Assim o ciclo se encerra.


Antônio de Pádua Elias de Sousa

09/02/10

Narrativas

INfluxo
Antônio de Pádua Elias de Sousa
Antônio de Pádua Elias de Sousa Seguir

Natural de Formiga-MG, formado em Administração de Empresas, membro da Academia Formiguense de Letras, 18 livros escritos, sendo 1 com registro de ISBN e Biblioteca Nacional e, o restante nas plataformas digitais da Amazon, Clube de Autores e Perse.

Ler conteúdo completo
Indicados para você