[ editar artigo]

Quebradeira da tarde

Quebradeira da tarde

esse coco da tarde
que você vê
é apenas a suça
lá no fundo do terreiro
rufando
sussurando em mim
um canto ritmado 

no abrir da casca
outra tarde
aquele som nosso
que tangia para longe 
o mormaço
que quer invadir 
nossos quintais 
do sensível

na voz da matriarca 
o coco pra se comer
o som pra se fazer
o sol pra se surgir

o cofo repleto
de conhecimentos
e sentimentos
que fortemente
cresceram em mim
que suavemente
reside em nós

Narrativas

TAGS

narrativa

INfluxo
Eduardo Santos Moraes
Eduardo Santos Moraes Seguir

Ler conteúdo completo
Indicados para você