[ editar artigo]

Poesia: Pandemia

D'Santos- Pandemia

Amplamente se prolifera
Tomando conta da rua
Lock down, toque de recolher
O povo recua
Vem pelo ar, roubando
Fôlego dos pulmões
Desafia Medicina
E suas várias repartições

Afetando ritmo de vida
Desumanizando a gente
Alterando até mesmo
Funcionamento da mente
Cadê o doutor? O SUS
Limitou o atendimento
E todo quadro clínico
Se resume a um único evento

Que não veio daqui
Invadiu, contaminou o clima
E até o momento
Pouco se sabe sobre a vacina
Pior que chacina, varreu
Da Terra uma multidão
Covid problema,
Já vai pra um ano a quarentena

Um mal leva à outro
Isolamento, faltou testemunha
Pra falar contra machistas
Homofóbicos, xenofobicos e racistas
Quem tem onde se isolar
Legal! E quem não tem?
Assim vários vermes dão fim
Em gente de bem

Tocando fogo em quem dorme na
Rua! Tacando pretos em viatura
Sorte dos países não afetados
Pela pandemia que leva o Brasil à loucura!

Pela tangente saio escrevendo
Não viro alvo, por Deus to salvo
Em casa água sanitária
É benta pros parentes assustados

Hoje é crime é trabalhar na rua
Em horários alterntivos
Lutamos por isso,
Porém se reinventar é preciso

Máscara não consigo gostar
Uso pra nos proteger
E o mundo de ponta cabeça
Em crise te faço ver

Narrativas

Ler conteúdo completo
Indicados para você