[ editar artigo]

O Casebre

O Casebre

 

Era um casebre ou uma casinha, quem pode saber?

Ali nasci, cresci, fui feliz até meu jambeiro florescer

Que aroma natural tinha a chuva ao bater nas telhas

Era o perfume da vida, a esperança, toda a centelha

 

Meu carrinho de lata, enferrujado fazia muito barulho

Enquanto brincava, minha mãe olhava com orgulho

Seu filho crescer, ser feliz diante do que achava pobreza

O tempo passou, o casebre caiu e nesse dia houve tristeza

 

Minha mãe foi levada ao céu, me deixando assim, sozinho

Pensei não resistir, até descobrir, viver todo o carinho

Que ela me deu, tornando-me um homem, ainda criança

Que o mundo venceu com as lembranças de sua infância

Narrativas

INfluxo
Ricardo Alves de Souto
Ricardo Alves de Souto Seguir

O Autor tem uma extensa carga cultural. Poeta por essência, escritor, advogado renomado e político são algumas das carreiras desse talentoso escritor que hoje conta com 52 livros publicados.

Ler conteúdo completo
Indicados para você