[ editar artigo]

Estações do amor

Estações do amor

Estações do amor

 

Uma praia, a areia no corpo, no sol de verão vi você

Suntuosa, toda linda, com jeito sensual de ser

Foi paixão, quiçá amor, que adentrou meu coração

Soube que te amava, nas notas da minha canção

 

Que fala de amor, de ti, pura beleza de uma mulher

Sorriso maroto, corpo divino, um amor que me quer

Veio o outono, com as flores caindo, ouvi seus prantos

Alegou todo amor, mas me deixou sem seus encantos

 

Logo o inverno escureceu as ruas, bem como meu viver

Pingos de chuva, eram as lágrimas por ter perdido você

Tudo frio, intenso, gelado, lençóis que não cobriam a dor

Outrora sentida no peito, na alma, de quem perdeu o amor

 

Surge a primavera e com ela as cores e aromas das flores

É tempo de apreciar a beleza, de esquecer todas as dores

Vejo a rosa vermelha, bela, sozinha, nada mais ao seu lado

Concebia meu amor, minha dor, o medo de não ser amado

Narrativas

INfluxo
Ricardo Alves de Souto
Ricardo Alves de Souto Seguir

O Autor tem uma extensa carga cultural. Poeta por essência, escritor, advogado renomado e político são algumas das carreiras desse talentoso escritor que hoje conta com 52 livros publicados.

Ler conteúdo completo
Indicados para você