[ editar artigo]

Dor de Barriga

Dor de Barriga

Senti tanto medo que meu intestino tratou logo de me compensar

Elevando meu nível de serotonina

Abaixando corticoide e a adrenalina

Senti medo por não ter uma escolha

 

Me convenceram e me alienaram

E agora eu acordei

E vi a outra face

 

E se toda a minha vida não pertencer a mim

E se a lei do livre arbítrio não existir

E se eu não puder orar antes da partida?

A mim seria tirado o mérito de estar diante da minha fé?

 

Senti tanto medo ao me deparar com a efemeridade de uma vida

 

Moro num lar imenso

Lindo

Colorido e abundante

 

E nem o conheço... Desconheço meu lar

Meu templo e meus caminhos

 

E se me forem arrancado os pés?

mãos e braços?

E se me for despedaçado o coração?

E se me sufocarem os pulmões?

 

Senti medo muito medo

E ainda sinto o medo de não poder amar o suficiente

De não poder sentir na pele

a brisa de outono

o calor do verão

o acolhimento do inverno

o perfume da primavera

 

Senti medo e ainda sinto

E busco no céu do meu coração

 

Brilhar a confiança

De que meu medo infundado

Não passará de uma dor de barriga

Aliviada em ínfimos momentos de prazer

 

07.04.2022

 

Narrativas

Ler conteúdo completo
Indicados para você