[ editar artigo]

A proteção da vida

A proteção da vida

Gaivotas caem na areia cobertas de petróleo

Onças absorvem o mercúrio da busca do ouro

Araras são levadas do Amazonas como espólio

Afinal, qual a razão da destruição do tesouro?

 

Alguém, indignado, procura amenizar os danos

Desesperado, tenta retirar o óleo recobrindo a ave

Nos seus braços aquela morre causando prantos

Quando perceberão os danos causados, qual idade?

 

Na mata, alguns cortam cedros milenares, é o ouro

Qual a motivação para se destruir a vida de gerações

Não percebem que esta é o único e pleno tesouro

Aquele que poderá salvar e conceber novas nações?

 

Jamais fomos donos da natureza e de sua diversidade

Ela nos presenteia com a vida, sem nos cobrar ou destruir

Aonde chegaremos com essa aniquilação e crueldade

Não encontraremos a verdade que possa nos unir?

 

Longe e perto uma energia observa a vida outrora criada

Não há felicidade ao ver a destruição da fauna e flora

Algo maior mudará e irá harmonizar a evolução desejada

Não haverá mortes, queimadas, cortes, só vida que se adora

Narrativas

INfluxo
Ricardo Alves de Souto
Ricardo Alves de Souto Seguir

O Autor tem uma extensa carga cultural. Poeta por essência, escritor, advogado renomado e político são algumas das carreiras desse talentoso escritor que hoje conta com 52 livros publicados.

Ler conteúdo completo
Indicados para você