[ editar artigo]

A Messe

A Messe

No ventre da terra descansa

E germina a semente que ele plantou.

Nos calos visíveis nas mãos,

Dormem os sonhos que ele sonhou.

Os sulcos que rasgam o chão

São os mesmos que ele traz em sua face.

Na ferida aberta o verde

Eclode no silêncio da luz que renasce.

Suas mãos transformam a campina

E ele já não sente mais sua fadiga.

Pois logo tudo irá despontar

Então será a hora de colher e assentar.

A messe que tira dos campos

Celebra a vida pelas suas mãos.

A terra se aquieta e descansa

Enquanto espera uma nova estação.

Na mesa enfeitada de cores

Dos frutos colhidos pelo seu labor,

Faz dele um homem amante

Das coisas tão simples, mas de grande valor.

 

Narrativas

INfluxo
Amanda Kraft
Amanda Kraft Seguir

Sou escritora, cantora e compositora. Possuo vários contos selecionados em antologias - à venda pela Amazon e outros - como Amanda Kraft. Como cantora, compositora e artista plástica, uso o pseudônimo de Lamaris.

Ler conteúdo completo
Indicados para você