[ editar artigo]

O Yoga em Mim

O Yoga em Mim

Transbordo o vazio que há em mim para que tudo se preencha daquilo que não se pode tocar. É o pulsar da vida que vibra e vive através de mim. Me torno o vazio, a medida que me concentro cada vez mais no espaço entre o efêmero e o imutável.  E assim não preciso mais ser, pensar ou agir. O verbo não existe nesse lugar. Apenas presença. Consciência plena. Um estado de pureza inefável. 

Sim, há um cansaço por trás disso tudo. Foi ele que me conduziu a este lugar. Um cansaço de errar e repetir os mesmos erros. Um cansaço de sofrer por pequenas coisas. Um cansaço de querer ser, de querer fazer, ou de ter que ser ou fazer. Um cansaço de atender às expectativas de uma realidade intangível. Um cansaço de buscar. Eis que quando cansamos de buscar, encontramos. Talvez não o que buscávamos, mas o que de fato precisamos.

E sim, o que nos conduz a este encontro é a verdadeira entrega, que vem depois do cansaço. Entrega daquele que se reconhece pequeno e incapaz, permitindo então que algo maior o oriente e o conduza nessa dança em espiral para cima. Um processo de redenção, de humildação de um ego que se reconhece derrotado.

Quem dá o primeiro passo somos nós. O universo dá o chão e dita o bailado. Cabe a nós sermos obedientes para seguir o bom caminho, que se ilumina com a prática das virtudes da alma e da disciplina.  Por isso eu honro a minha jornada e tudo que me conduziu a este momento de entrega e rendição,  principalmente a parte que doeu. Sim, o sofrimento esteve presente e foi necessário para me tirar da ilusão e deixar a verdade emergir. Agradeço por ter queimado os karmas que precisava e assumo total responsabilidade por eles. Que as minhas ações a partir de agora gerem apenas bons karmas. Porque não estou mais inconsciente.  Estou Aqui, Aqui e Agora. Completa e plena. Mesmo sem ter cumprido qualquer plano de vida ou meta que eu tenha traçado para mim. Pois encontrei minha paz na simplicidade da presença, do serviço, da saddhana, da natureza, da verdade,  da devoção, do amor, da alegria,  da fraternidade. E aqui vou me firmando com leveza, um passo de cada vez, honrando e agradecendo aos irmãos e irmãs de Sangha, aos meus mentores e a todos os mestres que apontaram o caminho e me conduziram a este Encontro. Um Encontro com nossa própria Essência Sagrada através de pequenas ações que vão nos desconstruindo e renovando, para que fique apenas o que É verdadeiro. Um encontro que se dá também através da interação com o outro. Pois sim, somos um em Essência. Se tiramos tudo que nos separa, o que resta é Unidade, Igualdade, Consciência.

Que possamos estar sempre unidos em intenção,  em oração, em meditação e em propósito,  para juntos materializarmos o paraíso na Terra, vivendo em plena harmonia com tudo e todos. Somos aqueles que acreditam e fazem a mudança acontecer, primeiro internamente.

Eterna Gratidão.

Eu Sou o que Eu Sou.

Namastê,

Gaia.

Espiritualidades, Esoterismos, Misticismos e Xamanismo

INfluxo
Gaia Shekinah
Gaia Shekinah Seguir

Um Ser que busca ir além.

Ler conteúdo completo
Indicados para você