[ editar artigo]

Um pouco sobre teorias

Um pouco sobre teorias

Gosto da ideia da entropia, da lei de Murphy, da teoria do caos. Volto agora, pois, assistindo a série americana Breaking Bad, percebi como elas, em algum aspecto, podem ser bem observadas. Um simples professor de química que, ao descobrir ter um câncer, dá origem a todo encadeamento de acontecimentos que assistimos.
       Para ser mínimo a coisa no texto, gostaria de me  prender em especial a um fato que ocorre no final da segunda temporada, e que poderia ser o mais importante, não para trama em si, mas o que significaria para a vida em geral. 
    Um acidente ocorre entre aviões de grande porte que causa a morte de cerca de 167 pessoas. 
    Partindo desse “simples” acidente aéreo, poderíamos fazer uma regressão para tentar descobrir, lá atrás, o elemento desencadeante dos fatos até explodir no último, num choque terrível entre aviões.
        O fator imediato seria o controlador de voo, a seguir, a sua perturbação, e como causa para isso, a morte de sua filha por overdose? Alguém poderia se antecipar e questionar: “167 pessoas morreram porque uma garota drogada morreu de overdose”. Mas não seria isso. A desistência do trabalho de reabilitação foi em razão de ela ter conhecido outro viciado, que, “por acaso”, resolve alugar a residência conjugada a dela. Ambas as casas seriam do pai da jovem, o controlador de voo, que tenta fazer com que a mesma não retorne às drogas. 
    Mas outra sequência de eventos poderia ser criada a partir do mesmo rapaz, por ele ser também drogado; por estar ali; por ele ter a receber 480 mil dólares de um simples professor de química. 
    Outro encadeamento poderia partir do próprio professor de química que viria se transformar num grande produtor de metanfetamina. 
    Poderíamos explicar também a partir de cada um passageiro daqueles dois voos; do piloto, do co-piloto; do atraso de um ou outro, por causa disso ou daquilo.
       É, enfim, uma gama (quase) infinita de fatores para um simples fato acontecido. 
    Nossas vidas, afinal, está assentada numa das mais insignificantes decisões já tomadas, e nem imaginamos o quanto foi decisiva para tudo, afinal de contas.
 

(do volume "46 Escritos")

Ler conteúdo completo
Indicados para você