[ editar artigo]

Sutileza

Sutileza

 

  Ter uma responsabilidade afetiva é ser sutil, mesmo que tenha passado um mal em seus ombros, algo que o fez esfriar e retirar as cortinas feridas com o tempo desmanchando-se a ponto de virar pó em suas mãos.

  Sutil, e propositalmente ande devagar, não de tempo, pois não serão as mesmas palavras, elas fugirão ao serem ditas.

  Quietamente onde as profundas águas correm, sinto a calmaria que me tornei (Saia meu bem, isso é o bastante!)

  Entre as fumaças que embaçam o tempo que passou, retiro-me das sombras.

  Soprou o vento que mostra a realidade entre as montanhas, luzes e verdadeiros aromas.

  Lancei o anzol, para retirar das presas os atalhos, pois a vida é uma subida e sem dúvida a vista sempre será a melhor.

  Manter-se firme para as escaladas que nos é preparada, sonhos que não serão abalados, por viver um hoje de perdas, seja sutil com você, pois para cada movimento terás uma direção, acredito nas surpresas, acredito nos acasos, nas possibilidades e nos instantes, as respostas teremos com os passos, aliás todos precisam de uma inspiração, e todos precisam de uma alma, talvez precisemos até mesmo de uma linda melodia, para quando nos depararmos com a noite longa.

  Quem disse que é fácil sair de cena quando o amor não é mais servido? Mas é gentil dizer adeus, e a garantia será a continuação da sua história.

  Quebre a escuridão, e quando os seus olhos se deixarem, as ondas estarão inundando o outro lado da areia.

  Assim como a lua abraça as estrelas, pois elas se pertencem, em algum momento não estarás sozinho, olhe para você e seja sutil.

 

 

INfluxo
Erica Martins Silva
Erica Martins Silva Seguir

Tem formação em Administração Empresarial, graduando em Negociação e Vendas, escritora com alguns textos poéticos e contos publicados, participou de três antologias, atualmente é gerente comercial na empresa Dewil Comércio de Ferro e Aço.

Ler conteúdo completo
Indicados para você