[ editar artigo]

SOLITÁRIA POESIA

SOLITÁRIA POESIA

Sentado na varanda o barulho da sirene me faz desperta....

Com a brisa do vento lembro das pessoas que não podem mas respirar 

 

Os choros, os gritos e suspiros invadem o apartamento vazio

Onde está a vacina?

Grita uma menina na esquina 

 

Ninguém acredita na velocidade que tudo se propagou 

Veio da China...

Atingiu avós e avôs

 

Não vejo o dia disto tudo termina...

E a nossa vida ao normal, retornar

 

Mas nem tudo parou,

Os assaltos no sinal continuou

A violência doméstica aumentou 

E não somente de COVID a morte celebrou 

 

As vidas ceifadas se foram... 

Mas as suas memórias sempre serão lembradas 

Independentemente de ideologia ou fanatismo vale reforça

 Que só com a ajuda da ciência para essa pintura do pós-modernismo mudar

INfluxo
Isaias Pereira da Silva
Isaias Pereira da Silva Seguir

Geógrafo, maranhense. Poeta intimista das distintas realidades sociais

Ler conteúdo completo
Indicados para você