[ editar artigo]

Sobre o Literatura Acessível

Sobre o Literatura Acessível

O Literatura Acessível traz uma proposta de multiplicidade, estimula o protagonismo da diversidade e propõe discussão saudável, na perspectiva inclusiva, dentro e fora das escolas. Nasceu e foi idealizado através da inquietação da autora Carina Alves, quando em sua banca de defesa da dissertação de mestrado ela foi indagada sobre o que faria com as histórias contadas em sua pesquisa. Ela sem ter pensado nisso se surpreendeu e começou a pensar. Uma das doutoras da banca, a Professora Dra. Marcia Campeão, disse: “Pense nas crianças, a base da nossa educação precisa saber e aprender mais sobre a diversidade humana”.

Isso, em 2014 quando Carina saiu desta banca inquieta pensando o que fazer e teve a ideia de escrever para crianças. Ainda em 2014, ela escreveu e publicou a primeira história: A Menina que perdeu a perna. Em 2015 ganhou fôlego para, no ano dos Jogos Rio 2016, lançar a segunda história: O Menino que escrevia com os pés, já em um formato mais amplo, pois contemplou também a versão em libras e o multilinguismo, em português e alemão, pensando nos filhos de refugiados de guerra.

Ainda em 2016, Carina viajou a trabalho com sua parceira Mari Meira e lá tiveram a ideia de mais um livro. Foi quando numa estação de trem em Coimbra, em Portugal elas escreverem A Princesa que Tinha um Cromossomo a Mais. Lançaram o livro em 2017. Com o sucesso e a vontade de dizer para o mundo que a diversidade humana existe e precisa ser compreendida e respeitada, surgiram mais ideias: “Se estamos escrevendo sobre pessoas que têm alguma característica, alguma deficiência, temos que pensar mais em acessibilidade. Queremos que todos e todas tenham a possibilidade de ler todos os nossos livros”. E aí surge a necessidade em ampliar os mecanismos de acesso, quando pesquisando, em parceria com o Instituto Politécnico de Leiria, em Portugal, foi possível pensar nas versões em pictograma. Através da incansável pesquisa, veio a ideia do braille e da audiodescrição, além de libras. Sem recursos naquele momento, o projeto começou a buscar possibilidades de torná-lo em multiformato, uma realidade.

Em 2018, 2019 e 2020 submeteram o projeto na Lei de Incentivo à Cultura. O projeto foi aprovado e agora estão aqui contando essa história para vocês. Em 2019 foi o lançamento da quarta história: O Melhor Amigo da Bengala, além do lançamento de todos os livros em multiformato (braille, libras, pictogramas e audiodescrição) e multilinguismo (português e alemão) e em 2020 o lançamento do quinto livro: Ico e o mundo que queremos construir, em parceria com a autora Elyse Matos.

Sejam todos e todas bem vindas e já estamos pensando em novidades para 2021!

http://literaturaacessivel.com.br/

INfluxo
Carina Alves
Carina Alves Seguir

Fundadora e Presidente do Instituto Incluir, Doutoranda em Educação (UFRRJ). Mestra em Letras e Ciências Humanas (Unigranrio). Psicóloga, Escritora e idealizadora do Literatura Acessível, ativista social. Levo a bandeira da inclusão por onde eu vou.

Ler conteúdo completo
Indicados para você