[ editar artigo]

Quando eu era feliz?

Quando eu era feliz?

Um pequeno Ser, da qual sua raça nesta história realmente não importa, estava chorando. Uma mancha escura, que não se aguentou de curiosidade, o indagou sobre qual seria o motivo de tanto choro. O que poderia tê-lo deixado tão triste.

O pequeno Ser, sem se importar de onde veio a pergunta respondeu que toda sua felicidade se foi. Seus amigos e sua família haviam morrido, e estava pensando em se juntar a eles na vida após morte.

A mancha não sabia muito o que questionar nesta decisão, mas sabia de algo que aparentemente o pequeno Ser não sabia. Porém, entregar este conhecimento de mão beijada não era de seu feitio.

A partir deste momento a mancha passou a persegui-lo, e aos poucos observar seu dia a dia. Ele cantava, cozinhava, construía coisas... Ela até mesmo notou vários sorrisos do pequeno Ser ao fazer essas coisas, e assim estranhou seu desejo pela morte.

Novamente, curiosa, a mancha o questionou sobre tal desejo. O mesmo explicou que sua família e amigos eram seu tudo, e sabia que nunca sentiria a felicidade sem eles.

A macha ficou "cabisbaixa", pois, se ele não seria mais feliz, porque sorria tanto? A mesma não entendia. Para ela não fazia sentido todas aquelas expressões que notara no dia a dia.

Neste momento, decidiu então compartilhar com o pequeno Ser seu segredo -"muitas vezes pensamos que se sacrificar por aqueles que amamos é o mais importante. Mas sabe, morrer pelo outro pode ser fácil, entretanto, viver pelos que ama é mais difícil. Tenha certeza que viver por aqueles que ama é mais importante do que morrer por eles. O que você precisa é observar as coisas de um ângulo diferente, acredite em mim, a felicidade que você tinha ao cantar, cozinhar e construir coisas com aqueles que ama ainda está em você".

O pequeno ficou emocionado pelas simples palavras da mancha, mas não compreendia porque a mancha, com tanta certeza, lhe disse que ele era e ainda é feliz sendo que se conhecem a tão pouco tempo.

A resposta para isso foi mais simples do que pensava: se por enquanto não consegue observar as coisas de outro ângulo, deixe comigo, afinal estou sempre com você desde o seu nascimento, pois, se ainda não notou, sou sua sombra.

Antes de dizer que não é feliz e que sua felicidade se foi, observe sua vida de outro ângulo, nem que para isso precise "tomar o lugar de sua sombra". Temos uma capacidade de não notar pequenas coisas que nos fazem feliz, e não há mal nisso, apenas não deixa que a mesma prevalece em você. Às vezes precisamos parar e olhar para nós mesmos, e notar coisas que até então eram desconhecidas. A felicidade pode estar em pequenas coisas, não apenas no extraordinário, mas em lembranças e feitos que você carrega e faz.

 

INfluxo
Jonas Paulo Batista Dias
Jonas Paulo Batista Dias Seguir

Mineiro, 23 anos. Estudo enfermagem na federal de Alfenas. Totalmente novato em narrativa e buscando um feedback sobre minhas escritas, para assim melhorá-las.

Ler conteúdo completo
Indicados para você