[ editar artigo]

Pivete

Pivete

Meu pai me ensinou à azarar quando eu tinha 6 anos de idade

"Bunda nunca é demais", ele dizia
Eu fingia que sacava, e a gente entrava na briza
Era bom viver sem malícia
Entrar no boteco de pijama e receber doce de graça, passear de sunga sem cogitar o que cada pervertido pensava
Isso foi antes da pornografia ser de graça
Quando gente caçava revista Playboy na ferrovia
Quando erotismo era brincar de luta livre e gato-mia
Cê sabe, só entre os primos
A gente se tocava sem nem se "tocar" disso
O bullyng da escola era tocaia no banheiro
Vestiário masculino: igreja de Satã
Quem olha primeiro, apanha; quem bate por último, dá um selinho
Depois dos 13, o mundo mudou num flash
Na aula de ciências, punheta grupal
Olhavam as malas, pensando nas tetas; fodiam buceta, querendo anal
Mc Gorila profetizava: "os bonitinho tão virando viadinho"
Radiola de ficha pra mela-tecla que idolatra o próprio esmegma
Na batalha de rap é "pederastia" na ponta da língua
Agora peça que ele soletre!
Marmanjo-quinta-série é o exemplo dos moleque
Fazem roda de rima pra ensinar que virgindade é doença e sexo se resume à boquete
Falar de bissexualidade não pode, porque aí vai "influenciar" as crianças
Quem dera!
Minha influência foi ver pittboy pimbando no paredão e os filho do lado baforando lança
Sertanejo mirim pode cantar serenata, mas se as nossas crianças se expressam, aí já é "adultização"
"Oh, MAPS? Pedofilia virou sexualidade?"
Para de cair em fake news, queridynha, pelo menos checa o site
Criança hétero falando de amor é fofura, criança bi se assumindo é luxúria
Minha vida teria sido outra se desde o começo me chamassem só de "bissexual", e não de "anormal"
Quem dera tivesse sido "modinha de adolescente" quando eu tava no ensino médio
Teria passado mais tempo beijando e menos tempo querendo me jogar de um prédio
Crescer foi ver os meninos que agarravam minha mão se tornando os homens que crivam minha carne
Crescer foi ver as meninas que me distribuíam abraços se tornando as beatas que hoje rezam pelos meus pecados
Quando eu era criança, ser bicha era mais sobre pular amarelinha do que sobre as minhas vestes
Era dizer "maravilhosa" ao invés "gostosa"
Era curtir o Kayky Brito de maquiagem e vestido; querer casar com a Mylla Karvalho e saber que essa deusa seria pra sempre um mito 
Infância bissexual é segredo porque os adultos querem que os jovens herdem seus medos, porque os mais velhos querem se sentir menos antiquados quanto aos seus preconceitos
Porque todo mundo conhece um bissexual, mas convenientemente ninguém tem um filho, uma namorada, um marido bissexual
Se a criança tem trejeito, diz que "vai ser gay" e deixa o assunto pra outro milênio
Criança não namora, enamora
Criança admira, vê beleza
E uma criança de bem consigo mesma é um adulto bifóbico à menos
Um futuro com menos assassinos e mais sujeitos de direito
Um terreno pequeno pra um plantio pleno

INfluxo
Blinc Haliah
Blinc Haliah Seguir

Bissexual, trans e sobrevivente de mim mesma

Ler conteúdo completo
Indicados para você