[ editar artigo]

O INSTANTE DA FÉ

O INSTANTE DA FÉ

Num instante tudo parou

Abraços fechados

Sorrisos escondidos

A vida murchou.

 

Num instante tudo mudou

Prisões em lares

Faces amordaçadas

A vida chorou.

 

Num instante tudo doeu

Jornais fartos de morte

20, 40, 60, 80, 100 mil!

“Não consigo respirar” .

 

Num instante tudo cansou

Cloroquina, respirador

UTI, fique em casa

Em quem devo acreditar?

 

Num instante, porém, renascerá

Teu sorriso, teu abraço

Laços e nós desatados

Tua presença à minha se unirá

 

Num instante, porém, tudo vai passar

Virá um novo recomeço

Fizemos antes, faremos de novo

Com fé, pois "fé não costuma faiá".

 

(Foto de Flickr)

INfluxo
Jorge Pontes
Jorge Pontes Seguir

Escritor freelancer, caçador de seleções literárias das quais colho vitórias e de outras apenas "não foi dessa vez. Professor de língua portuguesa, inglês e artes na cidade de Maracanaú-CE. Morador da terra do sol, Fortaleza bela.

Ler conteúdo completo
Indicados para você