[ editar artigo]

O Dia em que a Terra parou

O Dia em que a Terra parou

O Dia Em Que a Terra Parou

Esse momento que estamos passando me fez lembrar Raul Seixas. Coloquei nesse artigo que escrevi o título de uma música dele, que nos faz viajar no tempo.

Mas, no mundo do grande poeta e músico Raul, o doutor não saiu para medicar. Pois sabia que não tinha mais doença para curar.

Esse paradoxo mostra para nós que queríamos também o mundo dele, que ele imaginava. O mundo parado não por causa de doença, mas, por um motivo mais nobre ou pela paz mundial.

A poesia, a música, a arte em geral, com toda sua beleza criativa, com sua sensibilidade, sua terceira visão, traz uma grande energia suave, bela, para chegarmos ao entendimento, e enxergarmos além do que a humanidade está passando. 

Essa energia criativa  nos ajuda passar por esses momentos de crise. Nada melhor que a arte para nos entreter e para fazer com que a humanidade olhe pra dentro e enxergue além do mundo dos homens.

Nada melhor que uma consciência espiritual elevada para entender essas coisas que aparecem e nos pegam de surpresas.

Não podemos adivinhar, especular, vestir a roupa de um profeta, fazer premonições, nos fazer de especialistas do que não entendemos, mas, com certeza tudo tem um porquê.

Tudo tem um motivo, uma pergunta e uma resposta. E o tempo além de ser o grande senhor da razão nos mostra a verdade que alguns não conseguem enxergar no momento que acontece a crise.

Essa crise biológica  mundial nos faz refletir sobre quem somos e sobre o mundo acelarado e ganancioso que a humanidade vive.

Talvez seja um sinal. Um "Stop". Uma parada obrigatória. Uma forma de desacelerar a humanidade.

Uma oportunidade de olhar para uma flor rara no jardim que floresceu e você não consegue enxergar no momento certo.

Talvez, um olhar mais perceptivo, mais  caridoso, mais carinhoso para sua família, para sua mulher, para os seus animais de estimação, para a lua, para o sol... etc...

Devemos ficar atentos aos sinais da existência  e fazer a nossa reflexão.

Sobrevivemos a algumas epidemias, nos últimos 200 anos, que se transformaram em pandemias que mataram milhões  de pessoas, muito mais agressiva do que essa do Corona Vírus.

Cólera, Varíola, Peste Negra, Gripe Espanhola e mais algumas. Existem milhões  de vírus em um corpo humano e no planeta.

O homem é um grande hospedeiro de vírus,  é um viroma ambulante.

Vamos combater esse vírus, esse mundo de ilusão, com vibrações positivas, esperando um novo amanhecer.

Que o sol da consciência, a luz da verdade, sempre traga vida e florescimento depois de todas as tempestades desse mundo.

Vamos combater esse mundo com poesia, humor, sorriso, responsabilidade social, união, fé, e respeito ao próximo.

Vamos, principalnente  proteger os mais idosos que cuidaram de nós durante uma vida, os mais vulneráveis a esse vírus que não sabemos como ele apareceu aqui, apenas imaginamos, e podemos estar certos.

O Grande Espírito sabe o que faz !  E o que ele quer de nós, é menos opinião, mais união e principalmente mais atitude.

Cada um que tenha  consciência de fazer a sua parte. O resto é refletir sobre o que estamos passando, sem pânico, sem terrorismo e com muito amor. Só as boas energias do amor e da coragem pode nos curar das doenças da mente e da maldade. 

Luis Jarbas Carvalho Júnior

#Chamada#Quarentena#Influxo#DespertardaConsciência#Ciênciainterior#Autoinvestigação

Ler conteúdo completo
Indicados para você